Amazonas Mais Seguro
Concurso atenderá órgãos de segurança. Foto: Lucas Silva/Secom

A formalização de concurso público para as forças de segurança do Amazonas, anunciado pelo governador Wilson Lima nesta segunda-feira (19/07), pelo programa Amazonas Mais Seguro, possibilitará a contratação de novos servidores para corporações que aguardavam há mais de duas décadas por um certame. Serão abertas 2,5 mil vagas de trabalho distribuídas entre cinco órgãos que compõem a estrutura do Governo do Estado.

O concurso público destinado para o sistema de segurança, com salários a partir de R$ 2.600 até R$ 20 mil, convocará servidores para a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), Polícia Militar do Amazonas (PMAM), Polícia Civil (PC-AM), Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM) e Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM).

De acordo com o governador do Amazonas, Wilson Lima, o objetivo é realizar o concurso público ainda este ano, capacitando os aprovados para começarem a atuar em suas atividades em 2022.

“Hoje é um dia importante em que damos mais um passo no programa Amazonas Mais Seguro. É um resgate histórico que nós estamos fazendo, há muito que as nossas forças de segurança, tanto Polícia Militar quanto Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e Detran, estão com o seu quadro defasado. Isso acaba naturalmente provocando uma sobrecarga para as nossas forças de segurança”, destacou o governador Wilson Lima.

Além da assinatura de portaria para criação de concurso público, ocorreu na solenidade a entrega de R$ 12,8 milhões em novos equipamentos para o sistema de segurança. O secretário de Segurança Pública do Amazonas, coronel Louismar Bonates, afirmou que os investimentos refletirão em mais segurança para a população.

“É um trabalho planejado, uma política de Estado, onde o governo, o governador Wilson Lima vai deixar um legado de planejamento, de estrutura, bem melhor do que recebeu de outros governos”.

Renovação 

O concurso público para as forças de segurança terá como intuito oxigenar o trabalho executado pelo sistema. É o caso do Departamento Estadual de Trânsito, autarquia que não realiza um concurso público para contratação de novos servidores desde 1995. O diretor-presidente do Detran-AM, Rodrigo de Sá, afirmou que o último certame foi anulado e que nunca houve seleção para ingressos de servidores efetivos.

“Nunca houve seleção pública para ingresso dos servidores efetivos no Detran, que tem a natureza jurídica de autarquia mas tem servidores celetistas contratados. Precisamos criar um Plano de Cargos e Salários, precisa profissionalizar a instituição, e isso se inicia com a realização do concurso público”, frisou Rodrigo de Sá.

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Ayrton Norte, pontuou que a PM não realizava um concurso público desde 2011. Ele avalia que o certame resultará em um reforço nas atividades, principalmente no policiamento.

“Nós estávamos há aproximadamente uma década sem ter concurso público, e nós temos um governador que, além de estadista, é um governador que tem coragem, que tem espírito público, e o espírito dele está voltado realmente para o povo. Esse concurso só vem a colaborar para aumentar a nossa capacidade operativa e para o nosso efetivo de rua”, ressaltou.

A delegada-geral da PC-AM, Emília Ferraz, comemorou a criação das comissões responsáveis depois de 12 anos de espera por um concurso público para a Polícia Civil.

“Para mim era um sonho, e desde que entrei na Polícia Civil eu peço, principalmente porque o nosso efetivo estava bastante defasado. Agora vamos realmente poder realizar esse concurso público que é o sonho de muitos que estão estudando e, principalmente, dar esse retorno em segurança para a população”.

Para o Corpo de Bombeiros serão destinadas 453 vagas no concurso público. O comandante geral do CBMAM afirmou que a medida resultará em melhores serviços para a população amazonense.

“Nós estamos há mais de 10 anos sem concurso público, e vai dar uma vitalidade muito grande, sangue novo para a corporação e para atender a nossa sociedade. Nós sempre pensamos na sociedade, que merece um serviço com carinho, com amor, com zelo e precisa de homens e mulheres que trabalhem de forma humanizada”.