Em evento realizado nesta segunda-feira (18/07), foi apresentada a plataforma de telemonitoramento que será implantada

A implantação visa dar suporte e apoio de especialistas obstétricos aos profissionais de saúde dos municípios – FOTO: Roberto Carlos/Secom

A Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (SES-AM), em parceria com o Ministério da Saúde (MS), realizou nesta segunda-feira (18/07), evento de apresentação da plataforma que visa ofertar o serviço de telemonitoramento e teleconsultas a gestantes, de áreas distantes da capital e de municípios do interior do estado. Onze municípios foram selecionados para participação da implementação da plataforma.

O evento ocorreu no Auditório I do Centro Universitário do Norte (Uninorte), com a presença de técnicos e profissionais de saúde da SES-AM, do MS, da Secretaria Municipal de Saúde de Manaus, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), que coordena a plataforma de telemonitoramento responsável pela oferta do Serviço de Telemedicina e Telessaúde, e gestores dos municípios.

Para a fase de implementação das teleconsultas obstétricas, que está em andamento, foram escolhidos os seguintes municípios: Manaus, Manacapuru, Maués, Coari, Itacoatiara, Tabatinga, São Gabriel da Cachoeira, Barcelos, Tefé, Parintins e Jutaí.

A implantação do serviço de teleconsultas às gestantes tem como objetivo dar suporte e apoio de especialistas obstétricos aos profissionais de saúde dos municípios, por meio de uso da plataforma de teleatendimento e teleconsulta, no acompanhamento de pacientes durante o pré-natal de alto risco e nas intercorrências obstétricas em áreas remotas do estado.

De acordo com a secretária executiva adjunta de Assistência ao Interior da SES-AM, Rita Almeida, o principal objetivo é diminuir a mortalidade materna no estado e conseguir alcançar gestantes em outros municípios.

“Quando uma paciente começa o pré-natal e apresenta alguns indícios que ela poderá agravar, poderá ter uma gravidez de alto risco, automaticamente, entram os especialistas à distância orientando o profissional que está na atenção primária, como conduzir o pré-natal. E se no caso da paciente agravar por alguma razão e for parar no hospital, também vai ser monitorada à distância pelos especialistas”, explicou.

Esses atendimentos serão realizados por meio de parceria do Ministério da Saúde com a Ufam, com a disponibilização de profissionais do Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV). Serão atendidos pacientes com agendamento prévio via Sistema de Regulação do Estado (Sisreg), para consultas online no próprio município sem a necessidade de deslocamento para a capital.

Durante o evento, além da apresentação da plataforma, foram discutidas medidas para aperfeiçoar o atendimento às gestantes, como otimizar o uso de recursos físicos e financeiros, para reverter em melhoria da assistência às mulheres, permitindo com isso reduzir índices de mortes maternas, infantis e fetais de causas evitáveis no Amazonas.

A plataforma também será apresentada, nesta terça-feira (19/07), em Manacapuru (distante 68 quilômetros da capital), durante reunião com gestores de saúde do município e visita ao Hospital Geral onde será instalado local de funcionamento da plataforma do Serviço de Telemedicina e Telessaúde da UFSC.